Jornal
Notícia

Fernando Haddad é o novo ministro da Educação

Mara Lúcia Martins

Conheça o ministro

No último dia 29 de julho, Fernando Haddad, o secretário executivo do MEC, assumiu o cargo de ministro da pasta, em substituição a Tarso Genro, que teve de se afastar do cargo para ocupar a presidência do Parido dos Trabalhadores (PT). O novo ministro é brasileiro, advogado, casado e tem dois filhos. Filho de Khalil Haddad e Norma Thereza Goussain Haddad, Fernando Haddad nasceu em 25 de janeiro de 1963, em São Paulo.

Com apenas 42 anos e larga experiência na gestão pública, Haddad ocupa o posto na condição de mais novo ministro da Esplanada dos Ministérios. Antes de ser secretário executivo do MEC, o novo ministro foi consultor da Fundação de Pesquisas Econômicas (Fipe), chefe de gabinete da Secretaria de Finanças e Desenvolvimento Econômico da Prefeitura do Município de São Paulo e assessor especial do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Sua vida acadêmica foi iniciada, em 1981, na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), onde se formou em Bacharel em Direito, se especializando em Direito Civil. Foi aluno visitante da McGill Univerity de Montreal, Canadá. É mestre em Economia pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade e doutor em Filosofia pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, ambas da USP.

A vida política teve início em 1985 quando foi presidente do Centro Acadêmico XI de Agosto, entidade que congrega os estudantes da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Fez parte do conselho editorial em diversos veículos, tais como: Teoria e Debate, Praga, Editora Fundação Perseu Abramo e Coleção Zero à Esquerda da Editora Vozes.

Publicou livros e artigos que costumam abordar o tema do socialismo. A carreira profissional começou no Unibanco como Analista de Investimento do banco. Foi consultor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) e chefe de Gabinete da Secretaria de Finanças e Desenvolvimento Econômico da Prefeitura do Município de São Paulo.

Ao assumir a cadeira de ministro de Educação, Fernando Haddad disse que a saída de Tarso Genro não implicará a descontinuidade dos projetos do MEC. "Sempre trabalhamos em conjunto e por isso também me sinto autor dos projetos do ministro Tarso", afirmou.

Afirmou, ainda, que todos os projetos serão importantes para o ministério: "Não se faz educação fragmentada. Todo o sistema educacional, desde a educação básica até o ensino superior, deve ser prioridade", garantiu.

16/8/2005